• engajesite

6 riscos reputacionais em uma gestão de marca, confira!



Você sabe quais são os principais riscos reputacionais pelos quais a sua empresa pode passar? É importante conhecê-los para conseguir elaborar estratégias, evitá-los ou minimizar os seus danos


Neste texto, listamos quais são os principais riscos reputacionais em uma gestão da marca e como você pode evitá-los e incorporá-los em seu processo de controle de marca. Vamos lá?

1. Produtos e serviços

Esse tipo de risco de imagem se refere àqueles relacionados com a qualidade do produto ou serviço oferecido pela sua empresa. Trata-se de um dos problemas mais comuns, nos quais os próprios clientes acabam percebendo essa queda de qualidade e fazem reclamações.


Em alguns casos, esse problema pode se tornar mais grave, causando danos à saúde dos consumidores e ao meio ambiente, o que, consequentemente, acarreta problemas legais e pagamento de multas.


Entender o que é gestão de marcas é muito importante para evitar esse tipo de risco, mas o foco principal deve ser as fiscalizações interna e externa do que é oferecido aos seus clientes. Ao fazer isso, você garante que eles recebam o que você se propôs a vender.


Além disso, é importante sempre incentivar a melhoria dos seus produtos/serviços, fazendo análises constantes e encontrando maneiras de deixá-los melhor e mais alinhados com o seu público.


2. Ética e integridade

Outro risco que comumente pode abalar a reputação da empresa está relacionado à integridade e ética de um negócio, basicamente, quando ocorrem fraudes, corrupção e subornos na empresa.


A suspeita ou ocorrência dessas situações em uma empresa é muito grave, principalmente porque pode ser necessária a interferência de meios jurídicos para a punição dos infratores ou o recebimento de indenizações. Uma gestão de riscos muito bem planejada acaba sendo necessária nessa situação.


Esse tipo de problema pode abalar a instituição de diversas formas, principalmente se estiver relacionado a cargos de liderança. O público poderá perder a confiança na empresa, além de acionistas e investidores também desistirem da parceria.


É importante que a empresa tenha um código de conduta e que ele seja seguido rigorosamente. Dessa maneira, você conseguirá evitar atitudes criminosas e manter um ambiente na legalidade.


E caso esse problema aconteça, é importante entender o que é gestão de risco e como colocá-la em prática para minimizar, ao máximo, os estragos causados por essa crise de reputação.

3. Segurança

A segurança das empresas é algo que deve ser levado muito a sério, e não se trata apenas da segurança física mas também digital. As instituições, atualmente, movimentam diversos dados importantes da própria organização e dos seus clientes.


Nomes completos, senhas, endereços… Essas são algumas das informações dos seus consumidores que as empresas podem ter acesso. Por isso, hackers acabam visando a esses locais para fazer ataques e roubar esses dados.


A melhor maneira de evitar essa situação é investir na segurança digital da sua empresa. Controle o acesso a essas informações apenas para pessoas autorizadas. Dessa maneira, você evitará que muitas pessoas tenham acesso a elas e acabem repassando essas informações.


Além disso, a sua equipe precisa usar de forma segura a internet. É importante incentivá-la a não clicar em links suspeitos, bem como não divulgar informações pessoais, dos clientes ou da empresa para terceiros.

4. Social

Outro risco que a sua empresa pode enfrentar e que pode afetar a gestão da sua marca é o pessoal. Trata-se de problemas na comunicação entre a empresa e o seu público, o que acaba passando uma imagem ruim.


Além disso, declarações e falas de funcionários, mesmo fora do ambiente de trabalho, também podem repercutir negativamente na empresa, já que muitas pessoas acabam entendendo que esse também pode ser um posicionamento da empresa.


Por isso, o ideal é que, já no período de contratação, a escolha da equipe seja feita beneficiando-se pessoas já alinhadas com os ideais da empresa, para que as chances de falas diferenciadas diminuam.


Também é importante acompanhar o feedback que a sua organização recebe nas redes sociais ou em outros canais de comunicação. Assim, é possível resolver erros e falhas de comunicação mais facilmente.

5. Financeiro

Assemelhando-se ao risco de ética e integridade, o setor financeiro pode atrapalhar a reputação da sua empresa por meio da manipulação de linhas de crédito e contábeis, por exemplo. Essa é uma atividade ilícita feita, muitas vezes, para simular um maior ganho financeiro da organização e, dessa forma, atrair investidores e acionistas.


Por isso, é muito importante ser transparente com relação ao seu setor financeiro, evitando maquiar e alterar dados visando a uma melhoria da imagem, pois isso pode, justamente, causar o efeito contrário.


Caso a sua organização não esteja em um bom momento, busque pensar em maneiras para mudar essa situação a curto ou longo prazo, além de mostrar as perspectivas de crescimento que a empresa pode alcançar.


Dessa maneira, os acionistas confiarão na sua organização e realizarão investimentos, pois também acreditarão que a situação da empresa melhorará se a estratégia mostrada for feita.

6. Posicionamento

Muitas instituições acabam evitando comentar ou se posicionar em assuntos polêmicos, pois isso pode desagradar uma parcela dos consumidores e, até mesmo, originar boicotes aos produtos/serviços oferecidos por ela.


Além disso, parcerias e até mesmo investimentos podem ser perdidos por um mau posicionamento da empresa, o que pode levá-la a necessitar de um trabalho árduo da equipe de assessoria para reverter essa crise de imagem.


Dessa maneira, a melhor alternativa é conhecer bem o seu público e entender qual o tipo de comunicação que mais surtirá efeitos positivos. Além disso, confira quais são os temas mais delicados, que devem ser abordados com muito cuidado pela sua equipe de comunicação.


E caso a empresa queira defender uma ideia ou posicionamento (o que, muitas vezes, acaba tendo um efeito positivo, quando bem feito), deve ser algo bem pensado e analisado, verificando se essa posição acompanha o pensamento do seu público ou não.


E então? Conseguiu entender quais os principais riscos reputacionais que afetam negativamente o trabalho de gestão da imagem da marca em uma empresa? É importante ficar bem atento a eles, além de investir em medidas para evitá-los.


Para te ajudar a estabelecer e entender os processos de gestão da imagem da sua empresa, baixe o nosso e-book “Imagem da empresa: um guia de estratégias de reputação”, em que você aprenderá como elaborar planos nessa área que sejam realmente efetivos.


6 visualizações0 comentário