top of page
  • engajesite

Os impactos da bolha virtual, informação e conhecimento


Você já ouviu falar em bolha virtual? É um fenômeno que vem causando sérios problemas para os usuários da internet e, principalmente, para aqueles que usam as redes sociais para se informar.


As bolhas de informação na internet ocorrem quando os algoritmos ditam que tipo de informação deve ser direcionado para cada tipo de indivíduo, podendo fazer com que determinadas demográficas de usuários sejam excluídas ou até alienadas de temas realmente importantes para a sociedade e o mundo.


Neste artigo, vamos discutir como o acesso à informação e ao conhecimento vem sendo prejudicado durante essa era de conectividade.


O que você vai ver neste post:

Bolhas de informação na internet

Conheça os impactos causados pelos algoritmos

Como são formadas as bolhas virtuais? Um exemplo do impacto negativo das bolhas virtuais

Bolhas de informação na internet


O advento dos mecanismos de busca e das redes sociais facilitou consideravelmente nosso acesso à informação e a conhecimentos mais específicos de inúmeros assuntos. Essas plataformas se tornaram os principais veículos para a difusão de conteúdos voltados para entretenimento, estudo ou, até mesmo, para fins profissionais.


Contudo, essa facilidade de acesso vem, também, atrelada a escolhas automatizadas e feitas sob medida pelos algoritmos. Ou seja, quanto mais você pesquisa algo, mais conteúdo relacionado à sua primeira pesquisa será recomendado para você.


Em teoria, isso soa como uma forma de poupar tempo e uma maneira construtiva de se aprofundar ainda mais em algum tema específico. No entanto, há um efeito colateral grave provocado por essa prática, que é a criação das temidas bolhas virtuais.


Basicamente, o efeito bolha restringe às pessoas o acesso a informações e conteúdos mais diversos e que saiam dos parâmetros estabelecidos pelos algoritmos para cada usuário.


Dessa forma, quanto mais você consumir um determinado conteúdo, sua experiência nos ambientes virtuais será cada vez mais ocupada exclusivamente por esse conteúdo em questão, não dando espaço para outras informações também relevantes.


Com essa deficiência ao acesso de informações mais diversas, certas demográficas de usuários podem acabar sendo excluídas do fluxo de informações ou notícias pertinentes para eles e para a sociedade.


Isso também gera, em termos legais, um impacto negativo no direito de resposta, pois, de acordo com a Constituição Federal de 1988, todos têm direito à personalidade e ao acesso à informação.


Assim, a partir do momento em que o acesso a conteúdos mais diversos e impressos de valores para o cidadão é negado, isso fere diretamente o direito à informação, podendo gerar vários questionamentos referentes ao uso desses algoritmos.


Visto que, impedir o usuário, mesmo que de maneira “não intencional", de ter acesso a essas informações e conteúdos pode ser caracterizado como uma prática antidemocrática de um ponto de vista legal.


Basicamente, a bolha virtual constrói ao redor do usuário das redes sociais uma redoma que o impede de ter acesso àquilo que seria indispensável para seu conhecimento, pois, muitas vezes, isso está relacionado a questões políticas, econômicas, de cultura e comportamento, mas, mais importante ainda, são informações que estão ligadas diretamente à verdade.

Conheça os impactos causados pelos algoritmos

Aqui, vamos discutir mais sobre a mecânica por trás dos algoritmos e como eles contribuem para a criação de bolhas virtuais e para o detrimento do acesso à informação e a conteúdos mais diversos para os usuários das redes sociais.


Como são formadas as bolhas virtuais?

Em primeiro lugar, é por meio das atividades do feed de notícias da sua rede social que os algoritmos vão moldar o perfil do usuário em questão. Por meio dos seus likes, comentários e compartilhamentos, o mecanismo capta essas informações e passa a direcionar mais conteúdo relacionado às suas atividades online para seu feed.


O objetivo do mecanismo é selecionar conteúdos e informações que sejam “relevantes” para os usuários, aumentando a exposição de posts e outros conteúdos que estejam relacionados àquilo que você consome quando nos ambientes virtuais, e é aí que começa o problema, pois a formação da bolha virtual já teve início.


Desse ponto em diante, o usuário passa a ser bombardeado de conteúdos que estão exclusivamente ligados às suas atividades anteriores nos ambientes virtuais. Dessa forma, há uma falha em fazer com que conteúdos mais diversos e que agreguem valor ao usuário de fato o alcancem.


Um exemplo do impacto negativo das bolhas virtuais


Privar os usuários do acesso devido à informação já é uma ofensa grave, no entanto, o impacto dos algoritmos ainda pode agravar mais a situação.


Além de dificultar o conhecimento da verdade nos ambientes virtuais, conteúdos enviesados podem acabar por incutir ruídos nas mensagens que são publicadas na internet, o que pode não só impedir o acesso à verdade, mas propagar informações caluniosas e as tão temidas fake news, que se tornaram uma das maiores polêmicas no nosso tempo.


Para ilustrar melhor os efeitos negativos das bolhas virtuais, vamos dar um exemplo de algo que, infelizmente, já tem se mostrado comum nos ambientes virtuais.


Imaginemos uma pessoa hipotética que está afiliada a uma ideologia X. Em um cenário politicamente polarizado, como o que vivemos hoje, opiniões acaloradas sobre temas relacionados aos rumos do país são comuns entre a grande maioria da população.


Digamos que essa pessoa assuma o hábito de postar diariamente conteúdos sobre candidatos e ideais vinculados à sua ideologia. Até aí, não há problema algum, afinal, movimentos políticos e identitários usam das redes sociais para fins de propaganda e de estabelecer suas plataformas com seus apoiadores.


No entanto, graças à ação dos algoritmos, quando essas postagens começam a ganhar notoriedade, elas passam a ser veiculadas em canais correlatos e recomendadas para pessoas cujo histórico de pesquisa se enquadre no perfil estabelecido pelos mecanismos dos algoritmos.


Assim, esse conteúdo começa a circular em maiores proporções e passa a ser visto por mais pessoas.


Então, em um determinado momento, nossa pessoa hipotética faz uma postagem caluniosa sobre um candidato ou personalidade que faz oposição à sua ideologia política.


Essa postagem, por sua vez, será vista publicamente pela rede de contatos, recebendo likes e sendo compartilhada de forma orgânica por outros usuários que a entenderem como relevante e verdadeira.


A personalidade caluniada, assistida pelo direito de resposta, pode, então, exigir judicialmente que seja feita uma publicação em resposta à postagem caluniosa e que, dessa vez, a verdade seja dita.


Contudo, da mesma forma que a postagem difamatória original circulou entre os perfis de usuários, por estar tida como “relevante” para eles, a postagem resposta, mesmo que feita pela mesma pessoa e contendo a verdade e a reparação exigida pela parte caluniada, pode não ter o mesmo alcance da publicação original, pois os algoritmos entendem que aquele conteúdo em questão não é do interesse daqueles usuários.


Resumo: As bolhas virtuais são um fenômeno moderno e que se agravam devido à interferência dos algoritmos das redes sociais e mecanismos de busca, em que os usuários são cercados de informações que, muitas vezes, faltam com a verdade e que podem privá-los do acesso a conteúdos mais diversos, podendo causar a exclusão de certas demográficas do fluxo de informações relevantes e, ainda, contribuir para a propagação de fake news.


Para ficar por dentro de mais conteúdos relevantes sobre as tendências do mundo digital e da comunicação, não deixe de conferir nossos outros posts e de assinar nossa newsletter!


8 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page