• engajesite

Como as empresas e marcas podem se comunicar com a geração Z


Se compararmos os hábitos e pensamentos das pessoas que nasceram na década de 80 com os jovens da geração Z, encontraremos diversas diferenças. Por isso, as marcas precisam aprender a se adaptar a essas mudanças.


Neste post, explicaremos quem é a geração Z e quais as suas principais características, além de darmos algumas dicas de como as organizações podem se comunicar com esses jovens e conseguir engajá-los.

Continue a leitura!

Quem é a geração Z?

A geração Z compreende os jovens nascidos entre os anos de 1995 e 2010. Segundo o estudo feito pela McKinsey, 20% da população do país faz parte dessa geração atualmente, ou seja, uma fatia do mercado que já está se tornando uma considerável parte da população economicamente ativa do Brasil.


Uma das principais características dos jovens dessa geração é que eles são considerados nativos digitais, ou seja, experimentaram o contato muito precoce com a internet e outros aparatos digitais, o que lhes permite ter uma maior facilidade com essas ferramentas.


Os jovens da geração Z também são muito comunicativos e diversos. Assim, são engajados em diversas pautas ambientais e sociais, como sustentabilidade, respeito às diferenças e, até mesmo, em causas políticas, buscando uma sensação de pertencimento àquilo que defendem e ao ambiente em que estão inseridos.


Essa preocupação com causas sociais e ambientais não se limitam à relação dos jovens entre si, mas também se direcionam às instituições com as quais elas desejam ter uma conexão, tornando-se clientes, funcionários ou defensores da marca.

De que maneira as organizações podem se comunicar com a geração Z?

Mas afinal, como as organizações podem se comunicar efetivamente com a geração Z? A seguir, algumas dicas de como fazer isso e ganhar reputação e confiança com os jovens da atualidade, transformando-os em consumidores da sua empresa:


  • Atitudes positivas;

  • Mercado atual;

  • Estratégia de comunicação;

  • Conteúdo de qualidade;

  • Sensação de pertencimento.


Quer entender mais cada uma dessas áreas? Então, continue a leitura!

Atitudes positivas

Um dos primeiros passos que as organizações precisam tomar para ter uma boa relação com a geração Z é começar a realizar atitudes positivas em prol das causas sociais e ambientais defendidas por esses jovens.


Dessa forma, vale repensar, por exemplo, se a diversidade de pessoas fazendo parte do corpo de colaboradores da instituição é efetiva ou se os produtos e serviços oferecidos por ela estão, de alguma forma, causando danos ao meio ambiente.


Reforçamos esse olhar interno porque a geração Z não engole qualquer postagem nas redes sociais defendendo causas sociais. É importante que a empresa realmente adote esses valores no seu dia a dia, a fim de evitar um cancelamento.


Dessa forma, adotando mudanças internas e expondo esse processo para o seu público, a geração Z terá empatia pela sua marca e estará mais inclinada a engajar com a sua instituição e usar seus produtos e serviços.

Mercado atual

É preciso entender em qual contexto a geração Z se insere no mercado atual. Em primeiro lugar, é necessário ter em mente que ela não está apenas na internet: outros veículos de mídia como televisão e rádio também são utilizados pelo público, mesmo em uma frequência menor ou para assistir a conteúdos específicos.


Assim, vale a pena investir em estratégias de comunicação também nesses espaços. Na internet, o investimento em boas ações de interação vale não apenas para divulgar o seu produto ou serviço, mas também para prestar um bom atendimento em seus canais.


Outro ponto que também deve ser considerado é que, por crescer em um período de instabilidade financeira e política, os jovens estão mais cuidadosos com dinheiro e, por conta disso, buscam pesquisar bem antes de comprar algum produto ou assinar algum serviço.


Para conquistar essa geração é importante que as empresas ofereçam mais do que preços competitivos: as marcas precisam mostrar engajamento social, transparência e sustentabilidade.

Estratégias de comunicação

Falando mais especificamente das estratégias de comunicação, é necessário que a sua organização conheça os canais e ferramentas corretas para atrair essa geração. Como você pode imaginar, a internet acaba sendo o canal mais visado.


  • Mostre os valores da empresa;

  • Produza conteúdos dinâmicos;

  • Seja autêntico.


Saiba mais a seguir:

Mostre os valores da empresa

Exponha de maneira clara, mesmo que subjetivamente, os propósitos e valores da instituição. Como explicamos, a geração Z está muito preocupada em se engajar apenas com as marcas que estão nas mesmas lutas que eles.

Produza conteúdos dinâmicos

Apesar de os jovens estarem preocupados com causas sociais e ambientais, eles querem mudar o mundo de maneira divertida. Para acompanhar isso, as marcas devem produzir conteúdo de qualidade, com relevância, porém que também seja uma forma de experiência e entretenimento.

Seja autêntico

Copiar estratégias e conteúdos de outras empresas também não funcionará com a geração Z. Os jovens querem que a comunicação feita pelas instituições seja autêntica e verdadeira.

Conteúdo de qualidade

No tópico anterior, falamos um pouco sobre como criar uma estratégia de comunicação perfeita para atrair os jovens da atualidade. Agora, é preciso entender como, de fato, produzir um conteúdo de qualidade para a geração Z.

Aposte em vídeos

Os jovens da atualidade são muito ansiosos e podem não se sentir motivados a ler textos extensos. Por isso, é interessante apostar na produção de vídeos curtos e diretos para conseguir prender a atenção dessas pessoas.

Esteja nas redes sociais

As redes sociais são o melhor meio de comunicação com os jovens da atualidade. Porém, isso não significa que a sua marca precisa estar em todas elas simultaneamente: foque aquelas que fazem mais sentido para o seu negócio e nas quais o seu público, de fato, está.

Sensação de pertencimento

No âmbito profissional, o jovem dessa geração costuma vestir a camisa das empresas alinhadas com os mesmos valores que ele, além disso, busca se manter em constante aprendizado.


Dessa maneira, para trabalhar a reputação da sua marca com a geração Z dentro da sua própria instituição, é preciso garantir que ela se sinta pertencente à organização. Ela precisa sentir que está, realmente, fazendo a diferença.


É um público que pesquisou bastante sobre a vaga e sobre a empresa antes de aceitar trabalhar em algum local. Por isso, invista em oferecer autonomia e bons salários para os colaboradores, além de garantir um bom ambiente interno de trabalho.


Resumindo: as marcas podem se comunicar com a geração Z alinhando seus valores com os dos jovens da atualidade, além de realizar atitudes positivas em relação a causas sociais e ambientais.


Ao entender a melhor maneira de as organizações e marcas se comunicarem com a geração Z e entender o que elas esperam das organizações, você conseguirá ter uma relação sólida com jovens da atualidade, que, consequentemente, se tornarão seus consumidores e fãs.


Se você não quer deixar de consumir mais conteúdos interessantes como este, assine a nossa newsletter!


Assine a nossa newsletter!


1 visualização0 comentário